Maior projeto de reflorestamento do mundo vai plantar 73 milhões de árvores na Amazônia

O Ministério do Meio Ambiente disse que atualmente existem entre 4.000 e 4.500 árvores no país, por isso existe perigo de extinção. Espécies como cedro, noz, chanul, seike, balsam, guayacán, também estão ameaçadas, embora não no grau do mogno.

 

O Ministério do Meio Ambiente (MAE) anunciou a proibição do corte e comercialização da mogno nos próximos 10 anos.

 

De acordo com essa Secretaria de Estado, o mogno tem sido objeto de intensa exploração madeireira no Equador durante os anos 80 e 90 e, portanto, está em perigo crítico de extinção, de acordo com a Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Extinção. de Fauna e Flora Selvagem (CITES).

 

Isso limita o comércio internacional de mogno e compromete o país a tomar medidas para que sua comercialização não prejudique a sobrevivência desta espécie.

 

Tarsicio Granizo, Ministro do Meio Ambiente, estimou que existem atualmente entre 4.000 e 4.500 árvores. Em Pastaza e Morona Santiago está a população de mogno mais importante, enquanto em Napo, Orellana e Sucumbios quase desapareceram.

 

Ricardo Yánez, chefe da Unidade de Proteção Ambiental da Polícia, disse que ativará seu eixo preventivo para controlar o tráfico ilegal de madeira. Para esse fim, existem 270 tropas. Haverá operações preventivas focadas em estradas e um eixo de investigação através da Polícia Judicial.

 

Granizo indicou que em 10 anos a proibição poderia ser prorrogada ou um certo tipo de administração autorizada. "A proibição não só nos permitirá analisar e monitorar onde estão os últimos mognos, mas qual é o seu estado de conservação, mas sobretudo a reprodução", explicou.

 

Como complemento, foi assinado um acordo de apoio com comunidades amazônicas para prevenir a exploração de mogno, que inclui a inclusão no projeto de florestas socioambientais, gestão de outras espécies florestais, turismo.

 

O proprietário da Ambiente disse que cedro, noz, chanul, seike, bálsamo, guayacán, entre outros, são espécies que também estão ameaçadas não no grau de mogno. Com eles, não haverá proibição, mas controles mais rigorosos e, acima de tudo, o gerenciamento adequado será implementado, ele acrescentou.

 

 

Fonte:EM, Ciberia // IFLScience

 

  

 

 

 

 

 

Please reload

Destaques

Mensagem do Presidente

September 17, 2019

1/10
Please reload

Matérias Recentes

September 17, 2019

Please reload

Rua Lafaiete Pimenta, 44 Centro - Nova Iguaçu - RJ - Brasil - CEP: 262216-100
(21) 2768-7918

contato@acimderj.org.br

  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle