• ACIMDERJ

EM MOMENTOS DE CRISE,BUSQUE EQUILÍBRIO,OUSADIA E CAUTELA

Arnaldo Alves Borges, Conselheiro Fiscal da ACIMDERJ, conta-nos sobre sua trajetória profissional cuja iniciação no mercado madeireiro deu-se em 1989 pelo convite do Sr. Joaquim Correia, na ocasião proprietário da empresa Serrote Madeiras Ltda., estabelecida em Jardim Gramacho-Duque de Caxias/RJ, fundada no ano anterior. Ao compor a equipe da empresa, assumiu a área administrativa, mas logo depois se tornou sócio de Marcelo Correia, filho do fundador, cuja parceria se estende até hoje.



Nesses 32 anos atuando no ramo madeireiro, Arnaldo ressalta que, apesar da posição de um empresário no mercado brasileiro ser extremamente árdua e insegura, sente-se um homem realizado pelo trabalho que desempenha e acredita que, para se formar um bom empresário do segmento de madeiras, faz-se indispensável ter caráter, honestidade e transparência nas suas ações comerciais e pessoais, seja com seus funcionários,

fornecedores ou clientes.


Ao indagarmos como sua empresa vem enfrentando os desafios advindos da pandemia, o Conselheiro comenta que é preciso avaliar cada situação, pois em determinados momentos é preciso ser mais ousado e em outros, mais cauteloso. Sobre as consequências advindas da pandemia, relata que o fato gerou redução significativa das vendas bem como a falta de mercadorias para compra e reposição do estoque, gerando redução do quadro de funcionários e de salários de outros, uma decisão difícil, mas necessária nesse momento de crise.


Para promover a retomada das vendas, investiram em tecnologia e mídia virtual que ajudou a divulgar os produtos disponíveis em estoque, ação que será mantida, comprovando que os momentos difíceis podem gerar novas estratégias de trabalho e oportunidades de investimento.


Reconhece que, apesar da pandemia estar instaurada há um ano, grande parte da população continua não respeitando as normas de prevenção exigidas, como o uso de máscara, pondo em risco a vida das pessoas do seu convívio. Ao fazer uma reflexão pessoal sobre o atual momento, Arnaldo comenta que o comércio é um ambiente de altos

e baixos, ficando sujeito aos acontecimentos que surgem a todo o momento, o que afeta diretamente o desempenho das empresas, mas aconselha que todo empresário deva montar uma estrutura de prevenção capaz de superar os momentos difíceis. Acredita que 2021 será um ano bastante difícil para todos, entretanto espera que o Governo consiga realizar as reformas prometidas, como a Reforma Fiscal, pois os empresários brasileiros têm uma carga tributária muito alta, fato que dificulta o crescimento da maioria das empresas e leva outras ao encerramento das atividades.


Avaliando a importância da ACIMDERJ junto aos associados nesse momento de pandemia, Arnaldo destaca que se faz necessário mantê-los bem informados sobre as decisões governamentais, legislações e documentações que são exigidas das madeireiras, como o DOF, Licença Ambiental, dentre outras, prestando apoio ao grupo dentro da realidade e necessidade de cada empresa.


Sugere que todas as conquistas realizadas pela ACIMDERJ sejam amplamente divulgadas por todos os associados, pois dessa forma tende-se a ampliar o número de afiliados.

27 visualizações0 comentário